top of page
  • citebonline

Startup/ Carros voadores e a internet da mobilidade



Sabia que os primeiros carros voadores, com tecnologia brasileira, devem ser entregues até 2026? Essa é a promessa da Eve, startup para e-VTOLs da Embraer, que tem o compromisso de entregar 2.770 veículos até essa data em vários países. Porém a ideia por trás disso é ainda mais ousada quando se pensa em ecossistema de mobilidade.


Para André Stein, o CEO da Eve Air Mobility, a intenção é trazer para o mundo real o que aprendemos com o mundo digital, o que ele chama de internet da mobilidade. “Ir do ponto A ao ponto B de um jeito simples, integrado e barato”. No entanto, ele sabe que a execução não é simples e demandará a colaboração de todo o ecossistema de mobilidade.


Carros voadores são parte da solução

Conforme o mundo vai se desenvolvendo a necessidade de ir e vir também evolui. Assim, para o CEO, os carros voadores são apenas parte da solução da mobilidade urbana e não vão resolver todo o problema sozinho.


Para se ter uma ideia, pode-se dizer que a mobilidade aérea vai dos drones aos foguetes. Ainda há os transportes terrestres e aquáticos, e outras que a inovação nos puder fazer criar, que compõe o ecossistema de mobilidade.


Mobilidade Urbana

Com o crescimento da população mundial concentrada nos perímetros urbanos, é cada vez mais urgente o uso de soluções social e ambientalmente responsáveis nos grandes centros. O tráfego terrestre apresenta transportes coletivos e veículos elétricos, por exemplo. Mas não é o suficiente, ainda mais quando pensado a médio e longo prazo.


“Para os deslocamentos com os eVTOLs (carros voadores) funcionarem, não basta ter o veículo. É preciso ter toda uma malha de vertiportos, de controle de tráfego aéreo, de conexão com outros modais de transporte. É preciso pensar em como será essa jornada do usuário sair de casa e ir até o veículo aéreo”, reflete o executivo.


Futuro da mobilidade

Em recente participação de destaque no SXSW, maior evento de inovação do mundo que ocorreu em março de 2023 nos Estados Unidos, a Eve pode expor um mockup do carro voador que está em desenvolvimento. Além de fazer pesquisas junto ao público do evento.


Na oportunidade André participou do painel “Mobilidade aérea urbana: o que vem a seguir?”, onde pode expor a preocupação com pontos chaves para a expansão da mobilidade urbana para além dos e-VTOLs.


“É preciso pensar no desenvolvimento de novas tecnologias e modelos de negócio que façam com que esse futuro da mobilidade seja possível, e isso tem tudo a ver com o SXSW. É uma oportunidade para o ecossistema de inovação em mobilidade aprender e se conectar”, disse o CEO.

Fonte:


Comentarios


bottom of page