top of page
  • citebonline

Startup. Fábricas virtuais são a próxima revolução industrial




Otimização. Essa é a palavra de ordem dos próximos movimentos industriais de acordo com a expectativa da União Europeia. Para isso, investimentos não estão sendo poupados para se destacar nesse universo das fábricas virtuais que promete ser a próxima revolução industrial.


Em artigo para a Horizon, revista de pesquisa e inovação da comissão europeia, a Dra. Cécile Girardot, coordenadora da iniciativa DIMOFAC (Digital Intelligent Modular Factory) , diz que a indústria está em uma fase de transição e tecnologias digitais podem ajudar. "Com os gêmeos digitais, os dados em tempo real podem mostrar no mundo virtual como as máquinas estão se comportando no mundo real", explica.


Gêmeos digitais

Em inglês “digital twins” são fábricas virtuais criadas por meio de tecnologias que prometem agilizar a produção real. São estruturas que fazem uso de big data, inteligência artificial, robótica, processos em nuvem, blockchain e outros recursos tecnológicos de ponta. É a indústria 4.0 em operação.


Plug e Produza

Otimizando o “plug and play”, a proposta de reconfiguração de produção sugerida pela DIMOFAC segue uma linha simples e inovadora. “Usando o sistema, um fabricante poderia simular uma nova configuração virtualmente e resolver quaisquer problemas on-line antes de instalar o equipamento em uma fábrica real” diz Girardot. Essa ferramenta está sendo testada em 5 plantas industriais em diferentes países da Europa.


Produção On Demand

Outro projeto em andamento é a FIRST (Virtual Factories: Interoperation Supporting Business Innovation), que explora fábricas digitais, logística e pontos de venda em diferentes localizações.


O artigo da Horizon expõe que uma rede de tecnologia da informação conectaria todos os parceiros – lojas, designers, logística e fabricantes – e enviaria informações sobre o que é necessário, onde e quando através da tecnologia blockchain.


Fundo Público-Privado de Investimentos

Desde as regras ambientais europeias, ao fornecimento de energia comprometido pela guerra na Ucrânia e a experiência de pandemia com a COVID-19, há razões diversas para haver um fundo público-privado de investimentos para as fábricas digitais.


Essa parceria chama-se Fábricas do Futuro e recebeu aporte de 1,15 mil milhões de euros para promover a investigação e a inovação na indústria transformadora, sinalizando o quão elevada é a questão na agenda política europeia.





Comments


bottom of page